Capa » COLUNISTAS » Brasil – Pátria sem “dono” e sem controle

Brasil – Pátria sem “dono” e sem controle

Não quero acreditar que a corrupção desenfreada exista em nosso país, chamado Brasil!

reginaldotavaresDeve ser ilusão dos que ouvem falar que o Brasil, além de grande em extensão territorial, é também o país mais rico devido suas matas Ciliares, Floresta Amazônica e localizado num lençol freático de água doce, fantástico.

Pois é, se assim estivesse, a população brasileira não sofreria tamanho descaso da falta do precioso líquido, ou será que está faltando consciência do povo brasileiro no uso do mesmo? Os gestores não têm culpa com a situação, devido há muito tempo eles terem criado planos estratégicos e extraordinários de convivência com a seca e combate ao mau uso do pouco líquido que nos resta. Para tal, oneraram os cofres públicos com distribuição de milhares de cisternas, construção de grandes açudes e barragens, principalmente no Nordeste brasileiro. E o melhor, que o povo não contribui na poluição dos rios, açudes nem mares.

E agora, a construção do Canal da Transposição do Rio São Francisco com o objetivo de perenizar vários rios e barragens de estados nordestinos, obra essa que começou em 2007 com um orçamento inicial de pouco mais de R$: 4,5 bilhões, hoje já passou de 10, sendo protelado para a sua conclusão em 2017, sabe Deus quanto será gasto.

Entendo tal situação porque o governo brasileiro priorizou a construção do Canal da Transposição do São Francisco ao invés de gastar, em tempo record, milhões de reais em estádios para os jogos da Copa de 2014, concretizando então a previsão dos analistas, de que com tamanha despesa e a prática dos jogos o Brasil não correria o risco de quebrar. E quebrou?

Pois bem, tudo aconteceu “às mil maravilhas”, o país cresceu, a corrupção foi extinta, a Seleção brasileira fez belíssimas apresentações, principalmente nas quartas de finais. Foi um sucesso!!!.

Repito, quando falam em corrupção, não quero acreditar que exista em nosso país. Se realmente estamos vivenciando uma crise econômica, ética, moral e social, devido a insegurança reinante em nosso território brasileiro, não é motivo para culpar ou até mesmo reclamar dos “pobres” e abnegados gestores e representantes políticos, pois somos testemunhas da preocupação dos mesmos em evitar que as leis beneficiem e estimulem a marginalização e o avanço da corrupção no Brasil.

Não quero acreditar que o nosso país esteja submerso as águas turvas da desordem e da roubalheira desmedida. Como acreditar? Se assistimos a todo instante os legisladores, que estão a frente dos destinos da nação, nos representando com o nosso aval, gritando e se “esperneando” para votarem leis que beneficiam a nação brasileira, principalmente a menos favorecida.

Como acreditar meus amigos, se a reforma política está se concretizando conforme os anseios dos próprios representantes? Como não entender, que enquanto a aposentadoria dos que realmente trabalham neste país é dificultada e retirada de muitos ao tempo que é triplicado o valor do Fundo Partidário repassado para os partidos políticos. E mais, O salário deles é apenas uma merreca que acopla décimo terceiro, décimo quarto, viagens, combustíveis, etc e etc.

Com tudo isso, quero refletir com você leitor! Existem motivos para acreditar que os Mensalões e Mensalinhos, escândalos da operação Lava Jato e Petrobrás, da Copa do Mundo, do Canal da Transposição (que ainda não vieram à tona) são verdades e consequentemente motivos para delinear vertentes no desastre econômico que culminou na quebra do nosso país?

Por fim, se tudo isso é verdade, por que assistimos diariamente escândalos e mais escândalos, envolvidos sendo condenados e liberados em pouco tempo para continuarem a profissão que tanto lhes honra e “ferra” os brasileiros? E o pior, é que o governo reconhece a crise e pune a nação trabalhadora através de cobranças e criação de impostos gerando desemprego e recessão, e mais, os maus feitores de colarinho branco continuam por trás das cortinas do palácio, sem devolverem o que roubaram do país e “aptos” a continuarem gerenciando os altos impostos, provocados por eles mesmos.

E para completar, a insegurança reina nos quatro cantos do país, leis beneficiam a desordem e o crescimento da criminalidade. Vidas são ceifadas como se não tivesse importância nem uma, famílias sofrem com a falta de segurança, em casa, na escola, no trânsito e em toda parte.

A droga virou rotina e até mesmo arma perigosíssima nas mãos ou nos tragos desordenados dos jovens, menores de idade e de boa parte da população dos mais simples rincões do Brasil.

O que é feito pelos nossos representantes e por nós, para mudar esse quadro?

Portanto, a população de espíritos confusos vai as ruas, estimula panelaços, porém não atinge o verdadeiro alvo que é impedir a aprovação de leis que nos prejudicam e nem impulsionam a adesão a leis severas e rígidas, que moralizem a nação e orgulhem o povo brasileiro.

È preciso que o povo se organize e cobre seus direitos, caso contrário, continuará sendo do jeito deles.

Reginaldo Tavares de Sousa – Jornalista

DRT: 0919/TO

Enviar Comentário

O www.oagora.net esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o www.oagora.net gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.